quarta-feira, janeiro 03, 2007

As manhãs frescas do Inverno

Numa manhã fria destas, saí de um café poluído pelo fumo venenoso do tabaco e inspirei o ar fresco e limpo do céu. Sorri desintoxicado. O ar puro é mais acentuado quando se está perante o contaminado. Depois de termos estado prisioneiros, valorizamos mais a liberdade. Pensámos mais na vida quando somos confrontados com a morte.

Gosto das manhãs frescas e soalheiras do Inverno.

2 comentários:

Coisas de mim disse...

Simples mas profunda.
Tirar "vida" de algo morto, só quem tem a percepção do Espirito, que habita em nós.
De um local morto pelo vício, tiraste a mensagem de vida contida aí.
Porque da morte nasce a vida... o grão de trigo se não morrer, não pode dar fruto!
:)

rogerio disse...

Sensibilidade dada por Deus.
graças a Deus.

Rogério - Extrema MG - Brasil